sábado, 26 de março de 2011

Partilhando Saberes - Sobre Usina Jirau - Porto Velho

Camarada. Para gente ir pensando como potencializar:
Socializo uma sugestão da crise  sobre a tal antecipação da construção das usinas e já acrescendo minhas reflexões. Acho que a ideia tem potencial enorme de luta e articulação.Toda esta panela de pressão e exploração sobre os operários é em função de uma brutal pressão para acelerar a construção da obra, para antecipar o final de sua construção.

Belo Monte: Carta aberta do bispo do Xingu

Denunciando a falta de diálogo da Presidente Dilma, ontem dia 25, dom Erwin Kräutler, presidente do Conselho Indigenista Missionário (Cimi) e bispo do Xingu (PA) entregou à vice-procuradora Geral da República e procuradora Geral em exercício, doutora Débora Duprat, representação denunciando irregularidades que margeiam o projeto de construção da hidrelétrica de Belo Monte, especialment epelo que respeita às debidas consultas aos indígenas atingidos. Veja a carta aberta na íntegra.BELO MONTE: O DIÁLOGO QUE NÃO HOUVE

sexta-feira, 25 de março de 2011

Nova revolta em hidrelétrica em Mato Grosso do Sul

Depois dos conflitos na usina de Jirau, em Rondônia, foi a vez da usina de São Domingos, em Mato Grosso do Sul, ser alvo de protestos de trabalhadores, na tarde desta quinta-feira (24).
A obra, também incluída no PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), fica em Água Clara (a 250 km de Campo Grande).
Parte dos alojamentos e instalações foi incendiada..
De acordo com a PM, a confusão começou quando um segurança do consórcio responsável pela obra agrediu um trabalhador, na tarde de ontem. A seguir, parte dos funcionários --são cerca de mil, no total-- incendiou alojamentos e depredou algumas instalações da usina.

Mais dois homicídios em Buritis, Rondônia.

Segundo notícias recebidas pela CPT RO mais dois homicídios de um casal de agricultores teriam acontecido em Buritis, na Linha chamada Marco de Alumínio. Os homicídios teriam ocorrido no dia 12/03/2011, por volta das 11h30min, em Rio Alto (Linha Marco de Alumínio, gleba 09, Km 26) que é um distrito de Porto Velho, mas pertencente a Comarca/circunscrição de Buritis. As vítimas seriam WDILEY ALVES MARTINS, nascido aos 18/01/1984 (27 anos), filho de Rosalina Alves Martins e de Jair Martins; e SUELEN CRISTINA RODRIGUES FERREIRA, nascida aos 15/05/1989 (22 anos), filha de Rosematy Rodrigues e de Fernando Goes Ferreira Filho. Uma testemunha relatou a polícia que havia combinado com o Wdiley de irem comprar leite, mas como Wdiley estava demorando, resolveu ir até a casa do casal (Wdiley e Suelen), sendo que lá chegando, por volta das 08h, encontrou as vítimas alvejadas por disparos de arma de fogo no quarto já sem vida e acionou a polícia. em dezembro de 2009 duas lideranças da Liga dos Camponeses Pobres foram brutalmente torturados e assassinados. Na época foi acusado o gerente conhecido como Kaleb, de uma fazenda de Dilson Caldato, por aquelas mortes.

Dom Oscar Romero: 31 anos de martírio.

Ontem 24/3/11 celebramos o 31 aniversário da morte de Dom Óscar Romero, mártir das Américas. 
Denúncias de DOM OSCAR ROMERO
“Irmãos, eu gostaria de gravar no coração de cada um esta ideia: o cristianismo não é um conjunto de verdades nas quais devemos acreditar, de leis que devem ser cumpridas, de proibições! Assim se torna muito repugnante. O cristianismo é uma pessoa, que me nos amou tanto, que pede nosso amor. O cristianismo é Jesus Cristo e o evangelho.”

quarta-feira, 23 de março de 2011

O novo bispo coadjutor de Guajará Mirim

O Pe. Benedito Araujo, de 46 anos, tem sido nomeado como novo bispo coadjutor da Diocese de Guajará Mirim, em Rondônia.

O novo bispo irá auxiliar Dom  Geraldo Verdier, bispo diocesano, o sucedendo na aposentadoria. 

Ver mais informações no site da Diocese de Guajará Mirim.

Greve na usina de Santo Antônio, no Madeira.


Trabalhadores de Santo Antônio descansando
na entrada dum dos refeitórios
Os trabalhadores da Usina de Santo Antônio, construída pelas empresas Odebrecht  e Andrade Gutiérrez, impediram ontem terça feira pacificamente a retomada dos trabalhos dos canteiros de obras. 
A greve já tinha sido deflagrada a semana pasada, porém a empresa decidiu suspender os trabalhos por medo de acontecer outra revolta, como a acontecida em Jirau o dia 15, e no ano passado nós canteiros de obras da própria Santo Antônio. 
O consórcio construtor teria declarado estar disposta a ouvir as reivindicações dos operários e uma comissão eleita.   

segunda-feira, 21 de março de 2011

Jirau é um sinal de alerta ao governo

Vejam esta nota da Aliança dos Rios da Amazônia, organização com represenantes de diversas bacias afetada por projetos de hidrelétricas.
Jirau de hoje pode ser Belo Monte, Tapajós e Teles Pires de amanhã
Esta semana, o canteiro de obras da hidrelétrica de Jirau, em Rondônia, virou um campo de batalhas; depois um inferno em chamas; depois um deserto de cinzas e aço retorcido. Jirau concentra todos os problemas possíveis: em ritmo descontrolado, trouxe à região o “desenvolvimento” da prostituição, do uso de drogas entre jovens pescadores e ribeirinhos, da especulação imobiliária, da elevação dos preços dos alimentos, das doenças sem atendimento, e de violências de todos os tipos.

domingo, 20 de março de 2011

JIRAU: CADÉ A MINHA DIGNIDADE QUE ESTAVA AQUI?

Os últimos acontecimentos ocorridos no canteiro de obras da Usina de Jirau trazem uma séria reflexão a respeito do fato que impressionou a todos que acompanharam as notícias pela televisão, rádio, internet, entre outros meios de comunicação. Os episódios apresentados pelos meios de comunicação de massa geram uma série de questionamentos a todos que acompanham as notícias. Quem é o principal culpado por toda essa confusão? Será que alguém tem uma resposta para esse questionamento? Quem tem a real resposta? Na verdade há várias versões para o fato, várias respostas, porém, a real versão ou a resposta oficial que se queira ouvir talvez nunca seja apresentada.

Campanha para não consumir carne da Amazônia

A ong Idec em parceria com o Vitae Civilis e apoio do FEMA - Fundo Especial de Meio Ambiente mantido pela Secretaria do Verde e Meio Ambiente da cidade de São Paulo – SVMA, está desenvolvendo a iniciativa “Clima e Consumo em São Paulo” Que trata dos diversoso impactos climáticos de nossos padrões de consumo. Com o lema "Evite que o seu bife derrube a Amazônia" a inciativa debate sobre o consumo de carne e os seus efeitos nas derrubadas e queimadas da Amazônia.

Quilombolas do Guaporé receberam capacitação em Pedras Negras

Esmeraldina, Professora e liderança quilombola
de S Miguel do Guaporé.
A Gerência de Educação e o programa de Desenvolvimento do Ensino Fundamental da Gerência de Educação da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), concluiu no na localidade de Pedras Negras, em São Francisco do Guaporé, um curso de capacitação para vinte professores que atuam nas comunidades quilombolas da região de Pedras Negras, Laranjeiras, Rolim de Moura do Guaporé, Forte Príncipe da Beira, Jesus Santo Antonio e Santa Fé.

sábado, 19 de março de 2011

Porto Velho: O HAITI É AQUI.

Caros e Caras... o Haiti é aqui... literalmente... na semana que refugiados haitianos chegaram a RO vindo pelo Acre, a bomba humana eclodiu... isso já era de se esperar, porque os acordos trabalhistas não tem sido cumpridos e os trabalhadores não aguentavam mais trabalhar muito e receber pouco... o estopim já estava aceso e somente as autoridades e empresas não queriam ver... eis o resultado da política de super-exploração da mão de obra para avançar no cronograma e antecipar geração em dois anos para obter maiores lucros... alicerçado com recursos do BNDES...

MAB realiza em Rondônia ato público e comemorativo dos 20 anos da organização


Durante o ato, o Movimento dos Atingidos por Barragens, MAB,  fez o lançamento do relatório que comprova um “padrão nacional de violação de direitos humanos em barragens”. Em março de 1991, a expressão “Terra sim, barragens não!” aglutinava e transmitia o sentimento e ideais de centenas de trabalhadores e trabalhadoras de diversas organizações e regiões e do país, que se reuniram no 1º Encontro Nacional de Atingidos por Barragens. Ao final do encontro, no dia 14, um grande passo foi dado na afirmação da construção de uma organização nacional dos atingidos por barragens: berço de nascimento do MAB.

sexta-feira, 18 de março de 2011

Jirau: Depoimento de um trabalhador.

Enquanto que Porto Velho fecha as portas dos comerços por medo aos migrantes das Usinas do Madiera que procuram refúgio na capital de Rondônia, milhares de operários se concentram como refugiados de guerra em ginásios e locais públicos. Em Santo Antônio, onde já foi iniciada greve, a usina decide "parar" o trabalho dos seus 15.000 operários, depois que a situação também tinha começado a escapar de controle. 

Jirau: Nota do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB)

Nota do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) sobre a revolta dos operários na Usina Hidrelétrica de Jirau, em Rondônia


Nesta semana acompanhamos a revolta dos operários na Usina Hidrelétrica de Jirau contra as empresas que controlam a barragem. Existem informações de que os mais de 15 mil operários da obra estão em situação de superexploração, com salários extremamente baixos, longas jornadas e péssimas condições de trabalho, que existe epidemia de doenças dentro da usina e não existe atendimento adequado de saúde, que o transporte dos operários é de péssima qualidade, sofrem com a falta de segurança e que mais de 4.500 operários estão ameaçados de demissão. Esta é a realidade da vida dos operários.

Jirau: Nota do CIMI Rondônia

18/03/2011 - 15:39 - Hidroelétricas: confirmação de conflitos e impactos

As hidrelétricas em construção na Amazônia Brasileira ameaçam devastar as populações tradicionais, entre elas populações indígenas, a exemplo das hidrelétricas de Santo Antônio e Jirau no Madeira que estão sendo construídas próximas a territórios de quatro povos indígenas em situação de isolamento e risco, os quais desconhecem que grande parte de suas terras está ameaçada e sujeita a destruição. A política indigenista do governo que deveria prever meios para garantir a proteção desses povos livres tem em seu primeiro plano os grandes projetos. Em nome de um “desenvolvimento” continua ferindo e matando culturas milenares antes mesmos da sociedade mundial ter conhecimento dessas culturas, em contradição a Constituição Federal de 1988 e a OIT que rege ser o Brasil um País Pluriétnico. A triste situação provocada pelos operários na Usina Hidrelétrica de Jirau está confirmando as conseqüências trazidas por estes megas empreendimentos, que além de desrespeitar as populações locais (ribeirinhos, indígenas, quilombolas...) não trata com dignidade os operários que dia a dia com sua mão de obra arriscam suas vidas tendo as condições de trabalho e remuneração de forma muito simbólica. E ainda são taxados de bandidos e vândalos.

Operários da Jirau em Porto Velho

Na cidade de Porto Velho-RO , segundo informações dos próprios trabalhadores migantes encontra-se neste momento mais de 10.000 operários. Eles estão localizados em vários pontos da cidade: Trevo do Roque, SESE, Postos de Gasolinas, onde há uma abrigo que os proteja do sol ou chuva. A reação da população da cidade é de medo e insegurança. Muitos comerciantes fecharam as portas de seus estabelecimentos.Ao tentarmos informar o que a empesa e o estado  está fazendo contornar e resolver a situação. A informação é de que a empresa está fazendo uma triagem para saber quem gostaria de permanecer e quem deseja retornar ao estado de origem. No entanto segundo relato de trabalhadores, que tivemos contato tal medida não está sendo feita de forma ágil e em todos os ambientes onde se encontra grupos de operários. Os trabalhadores ao sair dessa forma receiam que os direitos garantidos pela lei trabalhista não sejam cumpridos.  

Jirau e Santo Antônio também: Operários continuam se manifestando.

No Canteiro de obra da Jirau continua tenso a situação. Enquano, segundo nformações,  os protestos começaram também na UHE de Santo Antônio.
Segundo relato de dois trabalhadores, um do Estado do Maranhão outro do Pará. Eles nos contam que conseguiram chegar até ao portão de entrada a pé e de lá pegaram carona até Porto Velho.
Nos contam ainda que as reivindicações em Jirau são:
  •  Passar para três meses o direito de visita a família que até o momento é de quatro mês - chamada "Baixa" 
  • Rever o decidi Coletivo;
  • Aumentar o valor do BICARD (cartão alimentação) que está no valor de R$ 110,00;
  • Ter em funcionamento um ambulatório com o médico, segundo o relato dos trabalhadores  só existe ali remédios para dor de cabeça;
  • Melhorar a qualidade da alimentação.

Jirau: Operários tentam ir embora

Carretas teriam sido usadas como carona
pelos trabalhadores para sair de Jirau.
Segundo testemunhas,a rodoviária de Porto Velho ontem estava chéia de trabalhadores de Jirau tenando voltar para casa. Alguns deles tivera que andar sem dinheiro e comida, mais de 50 km na BR 364 para chegara Porto Velho. O canteiro de obras da usina está a uns 120 km de Porto Velho em direção Rio Branco. Relatos contam que trabalhadores do outro lado do rio arriscaram a vida tentando atravessar a nado o Madeira, que nesta época de chéia tem uma corredeira muito forte. Teme-se que alguns tenham desaparecido por este motivo. Depois que 46 ônibus foram destruídos, muitos operários pegaram carona em algumas das imensas carretas de transporte especial, usadas para transportar até a usina as peças das turbinas em construção.

quarta-feira, 16 de março de 2011

Revolta dos operários da Usina de Jirau

A situação precária dos operários das Usina de Jirau tem provocado nova revolta. A greve já vinha sendo anunciada faz mais de um mes e ontem estorou a situação que parece mais grave acontecida até o momento, começando a revolta às 17 horas de ontem, dia 15/3/2011.
Enquanto os revoltados, armados de paus, queimavam ônibus  e barracões (uns 45 ônibus, mais alojamentos, refeitório e lojas de conveniência da área), muitos operários fugiram para Porto Velho e outros se refugiaram no mato.  Depois que o canteiro de obras foi fechado, não deixando sair nem entrar ninguém, nem refeições teriam sido servidas. O governo estadual de Rondônia enviou mais de 200 policiais esta madrugada  para tentar conter a revolta. Comntaristas desta postagem relatam cenas dramáticas vividas pelos operários, e o desespero dos familiares.Muitos operários reclamam do intenso calor nos alojamentos, e de um surto de viroses no local. Também  foi confirmado que na's últimas semanas a cozinha não dava conta de atende ros 22.000 operários contratados, tendo empiorado mito a qualidade das refeições servidas.

segunda-feira, 14 de março de 2011

A irresponsabilidade do novo código florestal

Assorreamento num igarapé da BR 429.
A falta de bom senso e a pressão da bancada ruralista (incluídos 20 dos nosso deputados estaduais de Rondônia) pela aprovação do novo Código Florestal continua em todo o país. 
Eles parecem esquecer que muitas das perdas humanas e econômicas do Rio de Janiero e de todo o pais por causa das alagações, teriam sido atenuadas se o código florestal vigente fosse respeitado e mantido.
O relaxamento da aplicação  lei, durante décadas vulnerada impunemente, é defendida em Rondônia até por aqueles que poucos anos atrás o denunciavam, pois o desmatamento das matas ciliares já tem provocado a desaparição de centenas de igarapés em nosso estado. Com prejuizos para todos nós, começando pelos proprietários das terras.
Quem quer reduzir a proteção as florestas é o agronegócio exportador, que sacrifica a proteção das florestas e da terra brasileira, para vender barata a soja e a carne para as empresas transnacionais do grande capital estrangeiro, mesmo a custa da devastação ambiental.
Quem defende o novo código forestal do jeito que está, na redação de Aldo Rebelo, parece não se importar com a erosão e a degradação do sólo, com as terríveis enchentes que sofre o Brasil, nem com os problemas provocados pelo aquecimento de todo o planeta.

domingo, 13 de março de 2011

Mensagem da Arquidiocese de Porto Velho na despedida dos companheiros Eduardo Valverde e Ely Bezerra

Dom Moacyr Grechi, Arcebispo de Porto Velho

A morte de Eduardo Valverde e Ely Bezerra nos toca profundamente; é uma perda que todos  nós estamos sentindo e sofrendo. Jesus também chorou a dor da morte de seus amigos. Como somos frágeis, limitados e finitos diante da morte.

sábado, 12 de março de 2011

Usina de Jirau, com problemas econômicos também.

A UHE de Jirau, no Rio Madeira (Rondônia, Brasil) enfrenta graves problemas econômicos, entre outros motivos, pelo atraso até 2013 na construção do linhão de Porto Velho a Araraquara, que iria permitir a venda livre de energia, antes do previsto no leilão, a um preço muito superior. Estes problemas confirmam muitos dos temores e alertas colocados antes da construção da usina e que agora também não são tidos em conta iniciando outra megabarragem suspeita e insustentável em Belo Monte. A fonte de informação sobre os problemas de Jirau é uma reportagem do dia 10/23/2011 do Estadão de São Paulo de Josette Goulart.  

sexta-feira, 11 de março de 2011

Sofre acidente Eduardo Valverde ex deputado federal.


Valverde em reunião
com indígenas de G Mirim em 2006.
Segundo notícias confirmadas pela polícia rodoviária federal, o Presidente de Rondônia do Partido dos Trabalhadores, Eduardo Valverde, teria falecido em grave acidente de carro acontecido em Ji Paraná, esta tarde da sexta feira 11 de março. 
Na hora uma intensa chuva estaria caindo na BR 429 entre Ji Paraná e Ouro Preto d`Oeste, local do acidente, conhecido como curva das Mangueiras. A PRF/RO informou que por volta das 17h47, no Km 355 da BR 364, em Ji-Paraná/RO, ocorreu o acidente tipo colisão frontal envolvendo um veículo Prisma e uma carreta, causando a morte do Dep. Eduardo Valverde e o do Sr. Eli Bezerra Sales, que era o motorista do carro.

quinta-feira, 10 de março de 2011

9ª ROMARIA DA TERRA E DA ÁGUA

Acontecerá este ano a 9ª Romaria da Terra e das Águas! O lugar escolhido foi o Distrito de Iata, em Guajará-Mirin. Organize sua Caravana! Vamos todos juntos no dia 10 de julho participar desse momento de memória das lutas dos povos ribeirinhos, quilombolas e todos nós que queremos um mundo mais justo e fraterno!Confira a programação:
PROGRAMAÇÃO:
07h: Recepção/Acolhida das caravanas
07h30: Lanche, café...
08h: Abertura da Romaria e caminhada
Ao chegar ao local de concentração: Mística da água/apresentação cultural
12h: Almoço
Após o almoço retorno com animação
13h: Celebração da Eucaristia
Encerramento e envio...







quarta-feira, 9 de março de 2011

Dicionário Popular do Aquecimento Global.

- A Terra geme em dores de parto.  CF 2011 -
Roberto Malvezzi (Gogó)
1)      Aquecimento global: elevação da temperatura média da Terra. Antes da era industrial a temperatura média era de 14,5ºC e hoje é de aproximadamente 15,0ºC.
2)      Mudança climática: toda alteração na temperatura da Terra, seja para menos, seja para mais. A Terra já conheceu períodos mais quentes e eras glaciais. A diferença que muitos cientistas fazem entre um e outro é que o aquecimento é considerado produto da ação humana, enquanto as mudanças climáticas são processos naturais.

terça-feira, 8 de março de 2011

Morte de Margarida Alves é lembrada com protestos



Brasil - Adital – Rogéria Araújo* – O Movimento de Mulheres Camponesas (MMC) conseguiu reunir hoje mais de 5 mil trabalhadoras agrícolas em diferentes atos públicos em 13 estados brasileiros. Para esta jornada de reivindicações, o movimento escolheu a data em que se celebra o 21º aniversário de morte da sindicalista Margarida Maria Alves, um dos maiores símbolos da luta pelos direitos das mulheres e dos trabalhadores rurais no Brasil. 

domingo, 6 de março de 2011

 Rondônia: Escola quilombola suspende atividades em conflito com Exército.



 Os professores da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio "General Sampaio" da comunidade quilombola do Forte Príncipe da Beira, em Costa Marques, paralisaram as aulas devido ao conflito existente com o comando local do Exército, o 2º Pelotão Especial de Infantaria de Selva Destacado, sob a jurisdição do 6º Batalhão de Infantaria de Selva, vinculado à 17ª Brigada de Infantaria de Selva, com sede em Porto Velho. Segundo o Procurador do Ministério Público Federal de Ji paraná, Dr Daniel Fontenele, em 5/3/11 a ordem de apresentar documentos para entrar na escola já tinha sido revogada.

sexta-feira, 4 de março de 2011

Conflitos de Rondônia tratados na 168 Reunião da Ouvidoria Agrária em Porto Velho


Barraco destruido das famílias
despejadas no Acampamento Barro Branco,
Chupinguaia RO
O passado dia 15 de Fevereiro teve em Porto Velho a 168 Reunião da Ouvidoria Agrária Nacional, do Ministério de Desenvolvimento Agrario, na qual foram apresentados em pauta diversas mortes violentas impunes acontecidas em Rondônia nos últimos anos, a situação de mais de 13conflitos de terras, os numerosos despejos judiciais de posseiros, inclusive de famílias de assentado pelo INCRA; a dos quilombolas do Guaporé, assim como a preocupação pela criação do Instituto de Terras de Rondônia sem consultar a sociedade civil. 
Entre as resoluções tomadas está a proposta de criação do Departamento de Meio Ambiente e Conflitos Agrários da Polícia Civil; a implantação do Programa de Proteção as Testemunhas no Estado de Rondônia, e o encaminhamento para examem da Corregidoria-Geral dos despejo judiciais acontecidos e o encaminhamento ao Ministério de Defesa do conflito na Comunidade Forte Príncipe da Beira com o exército por parte da Ouvidoria de Direitos Humanos da Presidência da República.

Belo Monte. Covardia, irresponsabilidade e sanha ditatorial

"O presidente do TRF1, Olindo Menezes, derrubou nesta quinta (3) a liminar da Justiça Federal que suspendeu o licenciamento das obras de Belo Monte. Correu para atender ordens da Advocacia Geral da União, que não demonstra menor pudor ou escrúpulos ao tratorar o Estado de Direito e violar as leis ao sabor dos interesses de seus “coronéis” palacianos".
A nota é do Movimento XIngu Vivo, 03-03-2011. Eis a nota.

Política socioambiental do BNDES é criticada em novo estudo




Queimada na BR 429, um dos polos de maiores
produtores de gado de Rondônia

Ainda que tenha avançado com critérios específicos para o setor da pecuária e de combate ao trabalho escravo, a política socioambiental do BNDES é vacilante, como indicam casos relatados pela Repórter Brasil em relatório sobre o tema. A análise é do Centro de Monitoramento de Agrocombustíveis, 03-03-2011. Maior instituição de fomento da América Latina e uma das maiores do mundo, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vem registrando seguidos recordes de desembolso nos últimos anos, beneficiando principalmente indústrias, projetos agropecuários e obras de infra-estrutura em setores considerados prioritários pelo governo federal.

quinta-feira, 3 de março de 2011

Amazônia terá menos chuva e ficará mais seca no século 21

Diminuição de chuvas na Amazônia e no Nordeste do Brasil é um dos cenários projetados pelo relatório de atividades do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Mudanças Climáticas (INCT-MC), realizadas entre 2009 e 2010. A reportagem é de Elaíze Farias e publicada pelo jornal A Crítica, 02-03-2011.
Queimada no Projeto Primavera, São Miguel do Guaporé.
Os novos cenários climáticos encontrados no relatório, “as projeções apontam que as áreas do norte do continente, que compreendem a Amazônia e o Nordeste do Brasil, deverão experimentar deficiência de chuvas (com redução de até 40%), enquanto no sudeste da América do Sul, incluindo a bacia Paraná La Plata, as chuvas deverão aumentar cerca de 30%”.

quarta-feira, 2 de março de 2011

Formação da Consciência Ambiental

Dom Moacyr Grecchi,
Arzobispo de Porto Velho e bispo acompanhante da Comissão pastoral da Terra de Rondônia.
A Campanha da Fraternidade de 2011 tem por objetivo contribuir para a conscientização das comunidades cristãs e pessoas de boa vontade sobre a gravidade do aquecimento global e das mudanças climáticas, e motivá-las a participar dos debates e ações que visam enfrentar o problema e preservar as condições de vida no planeta.

Justiça suspende licença parcial da Usina de Belo Monte

Um juiz do Tribunal Federal do Pará ordenou sexta-feira passada, dia 25/02/11 a suspensão imediata da licença que autorizava o início das obras da gigantesca central hidroelétrica de Belo Monte na floresta amazônica.

JIRAU: MPS RECOMENDAM AÇÕES SOCIAIS EFETIVAS EM JACI-PARANÁ


foto do blogdaamazonia.blog.terra.com.br
 A situação no distrito de Jaci Paraná, inchado pela construção das hidrelétricas do Madeira, é tão ruim que até o Ministério Público Estadual e Federal, conjuntamente, teve que intervir pedindo providências do Estado de Rondônia e da Prefeitura de Porto Velho contra a prostituição, o tráfico de drogas e outros problemnas provocados pela construção das Usinas do Madeira. Veja a notícia divulgada pelo MPF RO de Rondônia:

MAIS DIÁLOGO E CONTRA O DISTRITÃO

POR UMA REFORMA DEMOCRÁTICA DO SISTEMA POLÍTICO:MAIS DIÁLOGO E CONTRA O DISTRITÃO 
O Senado da República instituiu comissão que tem por objetivo apresentar em prazo exíguo (apenas 45 dias) uma proposta para a reforma do sistema eleitoral brasileiro. Diversos parlamentares – dentre o quais o presidente da referida comissão, Senador Francisco Dornelles – têm defendido a adoção de um modelo denominado “Distritão”, que na verdade põe fim à votação proporcional e determina a escolha dos eleitos na ordem exata dos votos obtidos.
A pretexto de simplificar o processo eleitoral, a proposta representará um duro golpe nas minorias e, por conseguinte, na própria democracia, já que o sistema majoritário favorece sempre os detentores do poder tanto político como econômico. A medida beneficia os políticos tradicionais e estimula o personalismo e o clientelismo.

Pequenos agricultores atingidos pela barragem da Santo Antônio negociam terra

Um grupo de atingidos pela barragem de Santo Antônio (Rio Madeira, Rondônia, Brasil) do Projeto de Assentamento Joana d' Arc está conseguindo negociar com a empresa os reassentamentos. Porém existe um grupo que teve negado o reconhecimento dos seus direitos e que está recebendo assistência jurídica da CPT RO. Segue o relatório da agente da CPT Maria José de Oliveira.

terça-feira, 1 de março de 2011

Terra Legal não decolou

28/02/2011 - 09h03 Regularização de terra na Amazônia cumpre 1% da meta
JOÃO CARLOS MAGALHÃES, DE BRASÍLIA

Maior programa de regularização fundiária da Amazônia desde a ditadura militar, o Terra Legal não decolou.

Lançado há um ano e oito meses, a partir da medida provisória 458 --apelidada por críticos de "MP da Grilagem"--, o programa deu até agora 554 títulos de terras a posseiros nos sete Estados amazônicos, ou apenas 1,1% da meta para o fim de 2010, de 50 mil títulos.

Em dados atualizados, o programa deverá avaliar quase 6% (51 milhões de hectares) do território nacional, nos quais estão 180 mil ocupações. Junto às dificuldades típicas da região, o maior entrave são as contestações judiciais da concorrência pública de R$ 93 milhões, que contratou 28 empresas para fazer o georreferenciamento, (a medição dos imóveis).